ENTENDENDO O ROTEIRO DO VÍDEO DE SUA EMPRESA

CRIANDO UM ROTEIRO: INDO ALÉM DO QUE UM TEXTO ESCRITO PARA LOCUÇÃO.

Um bom roteiro de vídeo empresarial deve sugerir para o diretor responsável e prever para o editor do filme diversas mudanças de andamento, com o objetivo de prender a atenção do espectador e de fixar pontos importantes da narrativa. Por isto um roteiro não é um trabalho operacional, ele deve ser feito por profissionais especializados.

 

“Nossa empresa criou um texto que queremos que seja dito no filme, portanto já não precisaremos de roteiro, correto?”
Um filme é muito mais do que um texto para locução, pelo contrário. A criação de um roteiro deve ter como objetivo se comunicar com imagens, música e possivelmente um texto para locução. Escrevo “possivelmente” pois é possível fazer um vídeo empresarial sem locução.


No vídeo acima não foi utilizada nenhuma locução. Mas exigiu um estudo cuidadoso de roteiro para que pudéssemos passar a mensagem pretendida pelo cliente. Um antigo ditado já diz que “uma imagem vale mais do que mil palavras” e este ditado vale mais do nunca em um vídeo para sua empresa.

 

Quando um cliente da Cinemátika recebe um roteiro, há nele uma série de figuras e/ou técnicas narrativas que tem por objetivo tornar o investimento mais eficiente, melhorando a assimilação da informação do filme.

Abaixo, você encontra as mais comuns utilizadas em nossos roteiros:
É fundamental que o roteiro preveja cada uma delas para que se tenha a eficiência necessária.

 

1. PORTRAITS:
Palavra que vem do francês, portraits são retratos, como das fotografias com pessoas sorrindo, só que com vídeo e com um leve movimento. Podem ser utilizados para se criar, ao longo do filme, uma proximidade e relação de empatia com o espectador.

 

2. PACK-SHOTS:
Recurso narrativo simples e bastante utilizado em publicidade. Trata-se de um take do produto fabricado, sozinho, podendo ser acompanhado de arte gráfica. É muito utilizado em conjunto com movimentos de câmera, como movimentos de slider/trilhos ou gruas.

 

3. SPLIT-SCREEN:
É uma antiga técnica de edição muito utilizada em cinema e publicidade, onde a tela é dividida em várias imagens. Ajuda a construir uma idéia de muitas coisas acontecendo ao mesmo tempo.

 

4. GRAVAÇÃO A 60 QUADROS:
É a famosa “câmera lenta”, mas feita por câmeras profissionais que permitem movimentos muito mais fluidos e naturais. Atenção: nem toda câmera profissional possui recursos de gravação a 60 quadros.

 

5. ENTREVISTAS:
Muitas vezes entrevistas são facilmente feitas com pessoas da própria empresa falando, como gerentes, diretos ou técnicos. O espectador tem uma sensação de proximidade, gerando empatia, assim como nos portraits. Também proporcionam uma oportunidade de quebra no ritmo do filme.

 

6. COMPUTAÇÃO GRÁFICA:
É de grande ajuda no tangenciamento de idéias e dos argumentos de vendas. Por este motivo, é um elemento muito importante na eficiência de filmes com objetivos comerciais e/ou de filmes para empresas prestadoras de serviços;

 

7. GCs ANIMADOS:
GC significa “Gerador de Caracteres” e sua origem vem há muitas décadas da televisão. Basicamente são textos sobre as imagens em vídeo, complementando a mensagem transmitida. A tecnologia de hoje permite a criação de GCs animados em After Effects, ajudando na dinâmica do filme.

 

Continue lendo sobre outros recursos de produção de vídeo empresarial clicando aqui.

 

No canal do YouTube da Cinemátika você pode conhecer centenas de trabalhos, com a utilização dos mais distintos recursos narrativos, com inúmeros orçamentos, além de dicas sobre vídeos emppresariais.

 

_______________________________________________________
CINEMÁTIKA – (11) 4226.4797

O que você precisa?

Saber mais sobre vídeos institucionais e vídeos empresariais.

Conhecer os trabalhos da Cinemátika.

Solicitar contato para visita ou orçamento.