ENTENDENDO O ROTEIRO DO VÍDEO DE SUA EMPRESA

CRIANDO UM ROTEIRO: INDO ALÉM DO QUE UM TEXTO ESCRITO PARA LOCUÇÃO.

Um bom roteiro de vídeo empresarial deve sugerir para o diretor responsável e prever para o editor do filme diversas mudanças de andamento, com o objetivo de prender a atenção do espectador e de fixar pontos importantes da narrativa. Por isto um roteiro não é um trabalho operacional, ele deve ser feito por profissionais especializados.

 

“Nossa empresa criou um texto que queremos que seja dito no filme, portanto já não precisaremos de roteiro, correto?”
Um filme é muito mais do que um texto para locução, pelo contrário. A criação de um roteiro deve ter como objetivo se comunicar com imagens, música e possivelmente um texto para locução. Escrevo “possivelmente” pois é possível fazer um vídeo empresarial sem locução.


No vídeo acima não foi utilizada nenhuma locução. Mas exigiu um estudo cuidadoso de roteiro para que pudéssemos passar a mensagem pretendida pelo cliente. Um antigo ditado já diz que “uma imagem vale mais do que mil palavras” e este ditado vale mais do nunca em um vídeo para sua empresa.

 

Quando um cliente da Cinemátika recebe um roteiro, há nele uma série de figuras e/ou técnicas narrativas que tem por objetivo tornar o investimento mais eficiente, melhorando a assimilação da informação do filme.

Abaixo, você encontra as mais comuns utilizadas em nossos roteiros:
É fundamental que o roteiro preveja cada uma delas para que se tenha a eficiência necessária.

 

1. PORTRAITS:
Palavra que vem do francês, portraits são retratos, como das fotografias com pessoas sorrindo, só que com vídeo e com um leve movimento. Podem ser utilizados para se criar, ao longo do filme, uma proximidade e relação de empatia com o espectador.

2. PACK-SHOTS:
Recurso narrativo simples e bastante utilizado em publicidade. Trata-se de um take do produto fabricado, sozinho, podendo ser acompanhado de arte gráfica. É muito utilizado em conjunto com movimentos de câmera, como movimentos de slider/trilhos ou gruas.
haelthyman
3. SPLIT-SCREEN:
É uma antiga técnica de edição muito utilizada em cinema e publicidade, onde a tela é dividida em várias imagens. Ajuda a construir uma idéia de muitas coisas acontecendo ao mesmo tempo.

4. GRAVAÇÃO A 60 QUADROS:
É a famosa “câmera lenta”, mas feita por câmeras profissionais que permitem movimentos muito mais fluidos e naturais. Atenção: nem toda câmera profissional possui recursos de gravação a 60 quadros.

5. ENTREVISTAS:
Muitas vezes entrevistas são facilmente feitas com pessoas da própria empresa falando, como gerentes, diretos ou técnicos. O espectador tem uma sensação de proximidade, gerando empatia, assim como nos portraits. Também proporcionam uma oportunidade de quebra no ritmo do filme.

6. COMPUTAÇÃO GRÁFICA:
É de grande ajuda no tangenciamento de idéias e dos argumentos de vendas. Por este motivo, é um elemento muito importante na eficiência de filmes com objetivos comerciais e/ou de filmes para empresas prestadoras de serviços;

7. GCs ANIMADOS:
GC significa “Gerador de Caracteres” e sua origem vem há muitas décadas da televisão. Basicamente são textos sobre as imagens em vídeo, complementando a mensagem transmitida. A tecnologia de hoje permite a criação de GCs animados em After Effects, ajudando na dinâmica do filme.

EXEMPLOS DE FIGURAS/TÉCNICAS NARRATIVAS:

 

CINEMÁTIKA – (11) 4226.4797

O que você precisa?

Saber mais sobre vídeos institucionais e vídeos empresariais.

Conhecer os trabalhos da Cinemátika.

Solicitar contato para visita ou orçamento.